Abril pra Cena provoca emoções e envolve público de todas as idades

Festival atraiu mais de 6.500 pessoas em 27 apresentações
Aos 63 anos, dona Maria Leonor Oliveira Martins nunca tinha assistido a um espetáculo de teatro. Na sexta-feira, 27 de abril, ela foi para a reunião da Igreja Nossa Senhora do Carmo, no bairro Nosso Teto, e resolveu conferir a peça “Desamor”, apresentada pela Cia. Oops! de Teatro. Na simplicidade do palco improvisado no pátio da igreja, espectadores e atores entraram em total sintonia. Dona Maria, que riu e se emocionou com o espetáculo, aprovou a iniciativa de levar o teatro para o bairro. “Muitos jovens estão se perdendo com as drogas por falta de eventos assim. É muito bom ter essa oportunidade”, disse ela. “Desamor” foi apenas um dos 17 espetáculos apresentados em Registro nos cinco dias do 4º Festival Abril pra Cena, realizado pela Prefeitura no período de 24 a 28 de abril.

As 27 apresentações realizadas em diferentes espaços da cidade atraíram mais de 6.500 pessoas e proporcionaram uma grande diversidade de atrações para públicos de todas as idades. O festival cumpriu seu papel de possibilitar o acesso a espetáculos de altíssimo nível e provocar emoções e reflexões nos espectadores. O prefeito Gilson Fantin, que acompanhou a maior parte da programação, destaca o empenho de toda a equipe da Secretaria de Cultura do município e dos integrantes do grupo Caixa Preta de Teatro, que cuidaram de todos os detalhes para que o evento conquistasse o sucesso esperado. “Graças também ao público, que prestigiou as apresentações, aos apoiadores e patrocinadores, conseguimos expandir o festival e trazer espetáculos aos quais normalmente só teríamos acesso nos grandes centros. Meu muito obrigado a todos que contribuíram com a realização do Abril pra Cena”, ressalta Gilson Fantin.

O diretor de Desenvolvimento Econômico e Social da Prefeitura, Carlos Alberto Pereira Junior, observa que o festival contribuiu também com o turismo cultural, movimentando o comércio ao trazer companhias teatrais de fora e atrair público das cidades vizinhas. “Vimos bares e restaurantes lotados, hotéis movimentados e as pessoas absolutamente dispostas a degustar cada momento, aos risos, às lágrimas, chocados, felizes, mas dispostos. E a cultura se mostra, mais uma vez, como um importante instrumento de transformação social e desenvolvimento econômico e o teatro um imprescindível suporte de beleza a serviço da vida”, comenta Carlinhos Junior.

Para o secretário municipal de Cultura, Cristiano Martins Oliveira, foi gratificante poder expandir o Festival e proporcionar cultura da melhor qualidade para moradores de Registro e visitantes da região. “Recebemos pessoas de Sete Barras, Cajati, Iguape, Jacupiranga e outros municípios do Vale do Ribeira. Sem dúvida o Abril pra Cena transformou Registro na capital do teatro”.

Diretor do Caixa Preta, Fernando Barbosa ressalta que a própria demanda pelo teatro vem aumentando desde a primeira edição do festival. “Temos que destacar o compromisso da administração do prefeito Gilson Fantin em abraçar o projeto criado pelo Caixa Preta e expandir o evento”.

Além de descentralizar os espetáculos para outros pontos de Registro, a Mostra inovou ao levar apresentações de stand-up comedy para restaurantes e bares da cidade. O Snooker Rock Bar e os restaurantes Metrópolis e o Chopparium aderiram à ideia de apoiar a cultura e tiveram casa lotada nas noites embaladas pelo melhor da comédia.

Realizado pela Prefeitura de Registro, com produção da Secretaria Municipal de Cultura, Lazer e Turismo e Grupo Caixa Preta de Teatro, o Abril pra Cena contou com a parceria da ACIAR, apoio do Governo do Estado de São Paulo, Secretaria Estadual da Cultura, PROAC, Porto Seguro, Wolpert Paisagismo e Construção, ACER e Incentiv Recursos Humanos, além do patrocínio da Sabesp.

Público aprova festival

Além de dona Maria Leonor, que assistiu pela primeira vez a um espetáculo de teatro no Abril Pra Cena, a coordenadora da paróquia Nossa Senhora do Carmo, Raimunda Quirino dos Santos, também aprovou a iniciativa de levar o teatro para o Nosso Teto. “Tudo o que é bom para o povo, a gente aprova e a igreja incentiva. Desde visitar um doente até assistir ao teatro, a paróquia participa”, afirmou dona Raimunda. Também moradora do Nosso Teto, a estudante Fernanda Cristina Fernandes de Oliveira Ribeiro disse que gosta muito de teatro e aproveita o fato de contar como hora extracurricular para a faculdade de Letras. “Como é de graça, possibilita que todos tenham acesso à cultura”, acrescentou a estudante.

Na apresentação realizada no Nosso Teto, não foi apenas o público que aprovou a iniciativa de levar o teatro para o bairro. Os atores da Cia Oops!, de Goiás, também revelaram em rede social o quanto gostaram de participar do Abril pra Cena, especialmente da apresentação na Igreja Nossa Senhora do Carmo. “Em Registro, em específico no Bairro Nosso Teto, aconteceu para mim uma das melhores apresentações de Desamor. Que energia boa eu senti no pátio da Igreja! Eu nunca tinha me divertido tanto com o Cândido”, afirmou Olliver Mariano, que interpreta Cândido na peça “Desamor”. O espetáculo foi apresentado também na abertura do Festival e na Praça dos Expedicionários. Na Vila São Francisco, a apresentação foi cancelada a pedido dos moradores, em respeito ao falecimento da fundadora da associação do bairro, dona Salete.

O auditório do KKKK e o salão social do RBBC receberam centenas de pessoas nas apresentações do Abril Pra Cena. Jovens e adultos de todas as idades riram, se emocionaram e também saíram perplexos com a audácia dos espetáculos como “Toda Nudez Será Castigada” (Cia. Teatro da Cidade), “Prometheus - A Tragédia do Fogo” (Cia de Teatro Balagan), “Amém” (Cia. Teatral Um e Outro) e Folia do Homem Diabo (Cia. Teatral Controvérsias), que encerrou o Festival no gramado do KKKK na noite de domingo, 28/04.

O professor Maykon de Souza, de Sete Barras, considerou emocionante a peça "Uma Alice Imaginária”, da Cia dos Imaginários. “Trouxe meu filho e mais dois amigos de escola para assistirem à peça e, coincidentemente, estavam estudando o livro de Lewis Carroll. Todos saíram maravilhados, pois reconheceram os personagens e se encantaram com os atores”, revelou Maykon. Foi a primeira vez que as crianças assistiram a uma peça e saíram com os olhos brilhando. “O município de Registro está realizando um trabalho extraordinário de incentivo à cultura. Festival de primeira!”, afirmou o professor, que também trouxe o filho para assistir ao infantil “Em busca do ingrediente secreto” (Chica e Olga Ateliê de Criações).

Crianças e adolescentes aproveitaram o Abril pra Cena, como os alunos das escolas estaduais de Registro Massako Osawa Hirabayashi, Vereador Alay José Corrêa e Pascoal Grecco, escolas municipais Prefeito Josino Silveira, João Batista Pocci Junior, Colégio Andersen, ETEC - Centro Paula Souza, das creches Ninho do Patinho, Pequenos Passos e "Acaso" (Jacupiranga), além das escolas E.E Bairro Barra do Azeite e EEPSG Profº Celso Antonio, ambas de Cajati. Integrantes do Ação Jovem de Eldorado, alunos da APAE e do AME de Registro também prestigiaram o festival.

A aluna da EE Bairro Barra do Azeite de Cajati, Geisieli Almeida Jorge, de 15 anos, também nunca tinha assistido a uma peça de teatro. “É a primeira vez que eu tive a oportunidade de ver uma peça e eu gostei muito”, revelou ela, após assistir o espetáculo “Bem do Seu Tamanho”, do Núcleo Caboclinhas. Segundo o coordenador da escola, Nelson da Cunha, a maioria dos alunos que vieram de Cajati nunca tinham ido ao teatro. “Eles ficaram muito felizes e gostaram dessa chance de acompanhar a apresentação”, completou. A aluna da EMEI Oleriano Gonçalves, Gabrieli Santos, de 5 anos, aprovou o programa feito com os seus 26 coleguinhas. “A parte que eu mais gostei foi da música e do boneco que falava”, revelou animada.

Espetáculos apresentados no Abril pra Cena 2013

Desamor (Cia. Teatral Oops! - Goiás/GO)

Bem do Seu Tamanho (Infantil - Núcleo Caboclinhas - São Paulo/SP)

Um Dia Ouvi a Lua (Cia. Teatro da Cidade - São Paulo/SP)

Toda Nudez Será Castigada (Cia. Teatro da Cidade - São Paulo/SP)

Donzela Guerreira (Mundu Rodá - São Paulo/SP)

Era Uma Vez Quem Quiser que Conte Três (Gene Insanno Companhia de Teatro - Rio de Janeiro/RJ)

Uma Alice Imaginária (Cia. Dos Imaginários - São Paulo/SP)

Pterodátilos (Caixa Preta - Registro/SP)

Em Busca do Ingrediente Secreto (Chica e Olga Ateliê de Criações - São Paulo/SP)

O Rio (Teatro Didático da UNESP & Teatro de Brancaleone - São Paulo/SP)

Prometheus, A Tragédia do Fogo (Cia de Teatro Balagan - São Paulo/SP)

Amém (Cia. Teatral Um e Outro - Araçatuba/SP)

Melhores Histórias (Cia dos Causos - Iguape/SP)

Folia do Homem Diabo (Cia. Teatral Controvérsias - Pindamonhangaba/SP)

Stand-up “Ordem e Comédia” (Rodolfo Pereira – Curitiba/PR)

Stand-up “Agrotóxico: A Comédia” (Cadu Scheffer – Curitiba/PR)

Stand-up “Ah pois o que: A Comédia” (Cristiano Martins Oliveira – Registro/SP)





























Próxima NotíciaAplicativo Zeladoria de Registro está disponível também para iOS Aplicativo Zeladoria de Registro está disponível também para iOS