Evento ressalta importância e esclarece dúvidas sobre o aleitamento materno

Realizada pela Secretaria de Saúde da Prefeitura de Registro, ‘roda de conversa’ reuniu mais de 50 mães e gestantes.
Com palestra, teatro e roda de conversa com profissionais de saúde, o evento em comemoração à Semana Mundial de Aleitamento Materno reuniu mais de 50 mães e gestantes na terça-feira, 26 de agosto. Realizado pela Secretaria de Saúde da Prefeitura de Registro no salão paroquial da Catedral São Francisco Xavier, o encontro destacou a importância da amamentação e esclareceu diversas dúvidas das participantes.

“Achei que o encontro foi muito bem aproveitado, serviu para tirar dúvidas sobre o dia a dia das mães e conseguiu passar as informações de maneira que a gente conseguiu absorver bem”, afirmou a balconista Regiane Xavier, moradora da Vila Nova. Grávida de 9 meses, ela disse que pretende amamentar a filha pelo menos até o sexto mês para que ela cresça saudável.

Com a pequena Lara Vitória de 3 meses nos braços, a estudante Letícia Aparecida Pereira Santos, do Jardim São Paulo, também aproveitou o encontro para trocar informações com outras mães. “Achei muito importante poder esclarecer as dúvidas e trocar experiências. No Posto de Saúde eu já tinha sido orientada sobre a importância de amamentar e pretendo continuar mesmo depois que voltar a estudar”, afirmou Letícia.

Acompanhada do marido Diogo, a operadora de caixa de Jacupiranga, Mayara Maximo Pignotti, ficou sabendo do evento numa rede social e resolveu participar para se informar um pouco mais sobre o aleitamento. Mãe de Olívia, de apenas um mês, Mayara encontrou certa dificuldade em iniciar a amamentação, mas não quer desistir de poder oferecer o leite materno para a filha.

Além da roda de conversa com a participação da pediatra do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), Dra. Paula Frassinetti Lima de Andrade, do Ginecologista Dr. Elson Luiz de Queiroz, Pediatra, Assistente Social, Fisioterapeuta, Dentista, Nutricionista, Psicóloga e Enfermeiros, o evento contou com uma animada apresentação de teatro dos agentes comunitários de saúde do Bloco B e com a palestra da advogada do CEREST, Ionara Mariano de Souza, sobre os direitos das mães que amamentam. Também participaram do encontro a secretária municipal de Saúde, Maria Cármen Amarante Botelho, a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Maria Amelia Fantin, e articuladora regional de Saúde da Mulher da DRS 12, Tereza Hanae Sato Nakamura.

DIREITOS DAS MÃES QUE AMAMENTAM

Creche ou berçário: Os estabelecimentos em que trabalham pelo menos 30 mulheres com mais de 16 anos de idade deverão ter local apropriado onde seja permitido às empregadas deixar, sob vigilância e assistência, os seus filhos durante a amamentação. Ficam as empresas e empregadores autorizados a adotar o sistema de reembolso-creche, em substituição à exigência de creche no local de trabalho.

Pausas para amamentar: para amamentar o filho, a mulher tem o direito de, até os seis meses de idade do filho, a dois descansos especiais, de meia hora cada um, durante a jornada de trabalho, que não se confundirão com os intervalos normais para repouso e alimentação. Quando a saúde do filho exigir, o período de seis meses poderá ser aumentado, a critério do médico.

Licença Maternidade: a Constituição de 1988 garante para todas as mulheres trabalhadoras sob o regime de CLT o direito a 120 dias de licença.

Importante saber: pela Constituição Federal, fica vedada a dispensa arbitrária ou sem justa causa (ou seja, há estabilidade no emprego) da empregada gestante desde a confirmação da gravidez até cinco meses após o parto.

Quem tem direito à licença maternidade de 6 meses?

A Lei 11.770, publicada em 9 de setembro de 2008, mediante concessão de incentivo fiscal, estimula, mas ainda não há obrigatoriedade por parte das empresas esta ampliação à licença maternidade das suas trabalhadoras para 6 meses. Essa lei se tornou muito importante no País, pois vem ao encontro da recomendação da Organização Mundial de Saúde e do Ministério da Saúde de “aleitamento materno exclusivo por 6 meses”.

Período da licença: em casos excepcionais, os períodos de licença antes e depois do parto poderão ser aumentados em mais duas semanas cada um, mediante apresentação de atestado médico.

Licença Paternidade: todos os pais trabalhadores têm direito a cinco dias de licença a contar do dia do nascimento do filho. Para algumas categorias, esta licença é maior.





























Próxima NotíciaAplicativo Zeladoria de Registro está disponível também para iOS Aplicativo Zeladoria de Registro está disponível também para iOS