Prefeitura de Registro destaca importância da prevenção às doenças sexualmente transmissíveis

Estande montado na Praça Joia distribuiu preservativos e orientações aos moradores.
Atraídos pelo display em forma de camisinha gigante, adolescentes, adultos e maiores de 60 anos receberam informações sobre o uso correto de preservativos, os riscos das doenças sexualmente transmissíveis e as formas de prevenção. A ação fez parte da campanha “Cuide bem do seu amor. Seja quem for – Use Camisinha”, realizada pela Secretaria de Saúde da Prefeitura de Registro, por meio do Programa Municipal de DST/HIV.

A estrutura itinerante - com banners sobre os direitos reprodutivos e sexuais, métodos contraceptivos e outros materiais informativos - é do Instituto Cultural Barong, que atuou em parceria com a equipe da Prefeitura. O objetivo da campanha foi aproveitar o Dia dos Namorados, comemorado na quarta-feira, 12 de junho, para incentivar o sexo seguro. A estrutura permaneceu na Praça Joia de segunda a quarta, 10 a 12/06, e recebeu um grande número de pessoas.

Enquanto os adolescentes aproveitaram para pegar os preservativos distribuídos gratuitamente, os mais velhos também buscaram informações mais detalhadas sobre o uso correto das camisinhas masculina e feminina, além de questões ligadas ao relacionamento sexual.

Os profissionais do Barong realizam aconselhamentos, pronto-atendimento psicológico, encaminhamentos para os serviços de saúde e esclarecem dúvidas sobre saúde sexual e reprodutiva. “Nossa estratégia não é abordagem na rua. Iniciamos o contato somente com as pessoas que se aproximam do estande para pedir informações justamente para não inibi-las”, explica Dênis Scotti Cofero, coordenador do Projeto Beira Mar do Barong, que é financiado pelo Programa Estadual de DST/AIDS.

A chefe da Divisão Técnica de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde de Registro, Ezeiza Stockler, destaca a importância da prevenção às doenças sexualmente transmissíveis. “Hoje não se fala mais tanto da Aids como antes, mas ela continua fazendo vítimas. Ao contrário de antigamente, todos fazem parte do grupo de risco, especialmente pessoas maiores de 35 anos, heterossexuais e com curso superior, que estão se cuidando menos porque acham que não correm risco de contrair a doença”, reforça Ezeiza.

Segundo ela, desde 2002 o município já registrou 97 casos de Aids ou HIV (quando a pessoa tem o vírus, mas ainda não apresentou sintomas). Além da Aids, outras DSTs também preocupam, como a sífilis, que teve 18 casos no ano passado e outros 14 entre janeiro e junho deste ano. O condiloma, também conhecido como “crista de galo” por causa das verrugas nos órgãos genitais, teve 68 casos no município em 2012.

“Nossas equipes de saúde são treinadas e capacitadas para reconhecer as doenças sexualmente transmissíveis por meio dos sintomas. Portanto, procurem as unidades de saúde para receber orientações. Lembrando que os preservativos são distribuídos gratuitamente em todas as unidades, não precisa se identificar para pegar as camisinhas”, destaca a chefe da Vigilância Epidemiológica.





























Próxima NotíciaAplicativo Zeladoria de Registro está disponível também para iOS Aplicativo Zeladoria de Registro está disponível também para iOS