Registro receberá exposição itinerante do Museu da Língua Portuguesa

Apenas sete cidades do Estado foram contempladas com o projeto inédito. Em Registro, visitação será de 10 de setembro a 5 de outubro.
Registro está entre as sete cidades paulistas que receberão a Estação da Língua, exposição itinerante do Museu da Língua Portuguesa, e conhecerão destaques do conteúdo já visto por mais de 3 milhões de visitantes na Estação da Luz, além de novidades dedicadas ao público paulista. “É a primeira vez desde sua inauguração, em 2006, que o Museu da Língua Portuguesa realiza uma exposição itinerante e Registro será contemplado. Estamos muito felizes e honrados em poder oferecer essa programação para o Vale do Ribeira”, ressalta o prefeito Gilson Fantin.

A Estação da Língua estará aberta à visitação no período de 10 de setembro a 5 de outubro, com uma grande estrutura instalada no Centro de Educação e Cultura KKKK. A abertura oficial será no dia 9 de setembro. “A Estação da Língua é a primeira grande viagem do Museu da Língua Portuguesa, que há anos atrai milhões de pessoas. Ao aproximarmos o museu da população, temos a certeza de estar cumprindo mais uma etapa da missão institucional de levar conhecimento e encantamento a todos os paulistas, em todas as partes”, afirma Marcelo Mattos Araujo, secretário de Estado da Cultura.

As cidades de Santos, Registro, Campinas, Sorocaba, São Bernardo do Campo, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto serão pontos de parada de uma viagem que contará a história da Língua Portuguesa de maneira interativa e tecnológica.

A realização é do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura; do IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, organização social de cultura que gere o Museu da Língua Portuguesa; e da Arquiprom. A Estação da Língua tem apoio da Lei Rouanet e patrocínio de Comgás, IBM Brasil, Sabesp e Vivo. Em Registro, conta com o apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Lazer, do Instituto Paula Souza (ETEC), que cedeu o espaço para a instalação da exposição, e da UNISEPE – que cedeu os alunos de Pedagogia e Letras para que fossem capacitados na sede do Museu em São Paulo e que irão fazer a monitoria dos grupos em Registro.

A Estação da Língua

A estrutura de recepção e de acolhimento baseia-se em um conjunto com forte apelo visual formado por uma tenda/cobertura e por contêineres. Estes abrigam projeção de breves textos literários – como já acontece na Praça da Língua, no Museu – especialmente escolhidos para esta itinerância. Em um ambiente imersivo, três frases promovem o início dessa viagem pela história da língua portuguesa.

“Quem não vê bem uma palavra, não pode ver bem uma alma”, de Fernando Pessoa; “Penetra surdamente no reino das palavras”, Carlos Drummond de Andrade; e “Como é que chama o nome disso”, de Arnaldo Antunes, foram interpretadas pelos atores Paulo Betting, Julia Lemmertz e Deborah Evelyn. Painéis de led vermelho reproduzirão o que está sendo ouvido.

Em cada cidade a exposição estará em um espaço cultural apropriado e, nele, o percurso continua por seis áreas expositivas. Começa com uma grande escultura de caixas onde se apresenta o Museu da Língua Portuguesa e segue para o ‘desembarque’, formado por um painel gráfico com as origens da língua e um vídeo/animação que apresenta as conquistas e a expansão ultramarina de Portugal até o ano de 1500 – quando ocorre o descobrimento do Brasil. Esta seção inclui um terminal multimídia que permite ao visitante escutar os vários sotaques do português pelo mundo.

A terceira área expositiva reproduz parte de outra ala consagrada no Museu da Língua Portuguesa: a Linha do Tempo, com a evolução do idioma no Brasil até a atualidade. O visitante segue para terminais com telas touch-screen que apresentam a relação do português com outros idiomas, como as línguas indígenas e africanas, e também as influências dos imigrantes europeus em solo brasileiro.

O passeio se aproxima do fim num painel em forma de quebra-cabeça que apresenta um vídeo baseado em dez entrevistas especiais. O vídeo permite confrontar e mesmo sugerir um diálogo entre cinco cidades paulistas, ressaltando as particularidades linguísticas de cada região.

A parada final destaca em projeções a presença diversificada da língua portuguesa no dia a dia do brasileiro, até mesmo em sonhos, com a apresentação de dois vídeos – Culinária e Danças – que fazem parte da estrutura da Grande Galeria do Museu, na Estação da Luz.

No total, serão quase 300 metros quadrados de área expositiva, divididos em cobertura/contêineres e espaço fechado. A estrutura será transportada de uma cidade a outra em caminhões, pois a Estação da Língua foi estruturada de maneira que possa ser desmontada e novamente aberta ao público em outra cidade em até sete dias.

ESTAÇÃO DA LÍNGUA EM REGISTRO

9 de setembro a 5 de outubro (aberta ao público a partir de 10 de setembro)

Complexo Educacional e Cultural K.K.K.K.

Rua Miguel Aby-Azar, 153 - Centro

segunda a sexta das 9 às 18h, sábado das 11 às 20h

Agendamento para grupos e escolas: (13) 3822-4492
Próxima NotíciaAplicativo Zeladoria de Registro está disponível também para iOS Aplicativo Zeladoria de Registro está disponível também para iOS